Bem-vindo à Universidade Falada AUDIOLIVROS

  • Meu carrinho

    Seu carrinho de compras esta vazio

    Você não tem itens no seu carrinho de compras.

Rei Lear - William Shakespeare - Adaptado para Crianças

Dê Sua Opinião Sobre o Produto

Untitled document

Adaptado para público infanto-juvenil

Rei lar é uma bela historia sobre a ambições dos homens e suas conseqüências. Lear enganou-se ao acreditar que amor se prova com palavras. Deixou-se iludir por suas filhas Goneril e Regana, e só quando já era tarde percebeu que,com suas atitudes somente Cordelia provou que realmente o amava.

R$8,99

Rei Lear - William Shakespeare audio livro audio livros  audio book audio books  audio-livro  audio-livros Zoom

MP3
R$8,99

Detalhes

Untitled document

Rei Lear é uma peça de William Shakespeare. Escrita em torno de 1605, a tragédia do rei Lear foi encenada pela primeira vez perante a corte inglesa no dia 26 de dezembro de 1606 e impressa em 1608.

Shakespeare inspirou-se em histórias antigas para compor os personagens de Rei Lear. Lear pertence ao folclore anglo-saxão e aparece, já em 1147, com base em um episódio da Historia Regum Britanniae (1137/1138) do galês Geoffrey de Monmouth, conforme recontado nas Crônicas de Holinshed (Raphael Holinshed). Por sua vez, Glócester e seus dois filhos – que aparecem como um desdobramento da trama principal, fazem parte de um romance pastoral de 1590, Arcádia, de Sir Philip Sidney.

Ao episódio, Shakespeare acrescenta o personagem do Bobo, a loucura de Lear e a morte de Cordélia e revela um final diferente das outras versões que têm um final feliz. Segundo Park Honan, autor de Shakespeare: Uma vida, Shakespeare elaborou um vasto estudo para escrever Rei Lear e ainda: “...enriqueceu suas opiniões e até mesmo seu vocabulário lendo Montaigne (1603) e tomou emprestadas várias das palavras do tradutor (John Florio, 1603) para Rei Lear.”

Rei Lear (King Lear, no original em inglês) é uma peça de William Shakespeare. Escrita em torno de 1605, a tragédia do rei Lear foi encenada pela primeira vez perante a corte inglesa no dia 26 de dezembro de 1606 e impressa em 1608. Shakespeare inspirou-se em histórias antigas para compor os personagens de Rei Lear. Lear pertence ao folclore anglo-saxão e aparece, já em 1147, com base em um episódio da Historia Regum Britanniae (1137/1138) do galês Geoffrey de Monmouth, conforme recontado nas Crônicas de Holinshed (Raphael Holinshed).

Por sua vez, Glócester e seus dois filhos – que aparecem como um desdobramento da trama principal, fazem parte de um romance pastoral de 1590, Arcádia, de Sir Philip Sidney. Ao episódio, Shakespeare acrescenta o personagem do Bobo, a loucura de Lear e a morte de Cordélia e revela um final diferente das outras versões que têm um final feliz.

Segundo Park Honan, autor de Shakespeare: Uma vida, Shakespeare elaborou um vasto estudo para escrever Rei Lear e ainda: “...enriqueceu suas opiniões e até mesmo seu vocabulário lendo Montaigne (1603) e tomou emprestadas várias das palavras do tradutor (John Florio, 1603) para Rei Lear.” O psicanalista Carlos Tamm, membro da Sociedade Brasileira de Psicanálise do Rio de Janeiro e mestre em letras pela PUC, descreve o tom inicial do rei Lear como uma "voz alta" que bloqueia o pensamento, a busca de verdade e o diálogo.

Lear organiza a "cerimônia adulatória", criando uma competição entre as irmãs, suscitando uma fala falsa, já que o texto, de algum modo, tinha sido ditado por ele próprio. Os elogios que ouvirá são apenas proporcionais à posição que ocupa, sem nenhuma relação com seu próprio mérito, como rei ou como pai. O universo da peça não comporta o pensamento de Cordélia que questiona o poder arbitrário e cego do pai.

O conflito toma uma proporção crescente. Ferido em sua vaidade e narcisismo, o rei se decepciona com Cordélia e a entrega sem dote ao rei da França. A fala de Cordélia crítica a falta de sentido da cerimônia. Ao opor-se Cordélia perde privilégios e bens materiais, embora seja ela a filha disposta a perder a própria vida pelo pai.

O pecado de Cordélia é tornar evidente o absurdo: é a voz sensata da razão ante o rei tomado pela irreflexão. Lear, mais tarde, reconhece o seu erro e exclama no palácio de Goneril, “Ah, pequeno erro(...), Como te mostraste terrível em Cordélia, Arrancando, como numa tortura, minha natureza De seu lugar devido, expulsando de meu coração todo o amor, E alimentando o fel! Ah Lear, Lear, Lear!” A expulsão da filha, da Inglaterra e do seu coração, é o primeiro passo para o calvário do rei, que acaba nu, exposto à tormenta e louco.

Informações adicionais

Título Rei Lear - William Shakespeare - Adaptado para Crianças
Autor William Shakespeare
Editora Universidade Falada
Áudio Narração Profissional
Locução Não
Tempo de duração 22 minutos
Audiolivro em MP3 - para download
Classificação Não
Preço R$8,99

William Shakespeare


Shakespeare é considerado um dos mais importantes dramaturgos e escritores de todos os tempos. Seus textos literários são verdadeiras obras de arte e permaneceram vivas até os dias de hoje, onde são retratadas freqüentemente pelo teatro, televisão, cinema e literatura.


Saiba mais
Ver todos produtos deste autor

Queremos saber sua opinião

Somente usuario registrados podem comentar. Por favor, faça login ou registre-se

Tags do Produto

Tags adicionadas por outros clientes:

Use espaços para separar as Tags. E aspas simples (') para frases.